22 de out de 2010

Novo blog! Nova casa.


Olá caros amigos do blog abandonado, venho por meio deste "imenso" post, avisar-lhes que mudei de casa, agora me encontro num lar mais distinto e cheio de novas possibilidades.... E LOL MUDEI DE ENDEREÇO D:
Quem quiser ser adicionado lá, fique a vontade de comentar avisando, se não, apenas sinta-se a vontade para ler e rir, ou chorar, ou fechar e nunca mais voltar.

http://nakascorner.appleandjansen.com/

18 de ago de 2010

Aloha

Visitando meu canto só para dizer que não morri. A vida continua a mesma de sempre. Muito boa por sinal. Muita coisa aconteceu sim, e por conta disso talvez eu mude de blog. Desejo de voltar ao bom e velho wordpress quem sabe, ou com outra url aqui no blogspot.
Enfim, I'm alive e só.

26 de jul de 2010

Doll Meeting

Domingo (25/07) participei do meu primeiro encontro de bonecas, aconteceu no Jardim Botânico, bom não tem muito o que escrever, a não ser que foi ótimo e maravilhoso conhecer pessoas tão legais, que compartilham do mesmo gosto, pessoas de todas as idades, sexo, tamanho, cor, etc...Isso nem era importante, estávamos ali por um único motivo, compartilhar um hobby!

20 de jul de 2010

Algo a mais para refletir.

Você estava a caminho de casa quando morreu.

Foi em um acidente de carro. Nada muito chamativo, mas infelizmente fatal. Você deixou sua esposa e duas crianças. Foi uma morte sem dor. Os para-médicos tentaram de tudo para te salvar, mas em vão. Seu corpo foi completamente destruído, você já esteve melhor, pode acreditar.

E foi aí que você me conheceu.

"O que-... o que aconteceu?" Você perguntou. "Onde estou?"

"Você morreu," Eu disse, com naturalidade. Não fazia sentido conter as palavras.

"Havia um caminhão.. e ele derrapou.."

"Isso aí," Eu disse.

"Eu.. Eu morri?"

"É. Mas não se sinta mal. Todo mundo morre," Eu disse.

Você olhou em volta. Não havia nada. Só eu e você. "Que lugar é esse?" Você perguntou. "Isso é o paraíso?"

"Mais ou menos," Eu disse.

"Você é Deus?" Você perguntou.

"Isso ai," Respondi. "Eu sou Deus."

"Meus filhos... minha mulher," você disse.

"O que tem eles?"

"Eles ficarão bem?"

"É isso que eu gosto de ver," Eu disse. "Você acabou de morrer e sua maior preocupação é a sua família. Isso é mesmo uma coisa boa."

Você olhou pra mim com um certo fascínio. Pra você, eu não parecia com Deus. Eu aparentava ser um homem qualquer. Ou uma mulher. Uma figura autoritária meio vaga, talvez. Mais como um professor de português do que o Todo Poderoso.

"Não se preocupe," Eu disse. "Eles ficarão bem. Seus filhos lembrarão de você como um pai perfeito em todos os sentidos. Eles não tiveram tempo de sentir algo ruim por você. Sua mulher vai chorar, mas vai ficar secretamente aliviada. Pra ser sincero, seu casamento estava desmoronando. Se serve como consolo, ela vai se sentir muito culpada por se sentir aliviada."

"Ah.."Você disse. "Então o que acontece agora? Eu vou para o Céu, pro Inferno ou alguma coisa do tipo?"

"Nenhum dos dois" Eu disse. "Você vai reincarnar."

"Ah," você disse. "Então os Hindus estavam certos,"

"Todas as religiões estão certas de alguma forma," Eu disse. "Venha comigo."

Você me seguiu enquanto caminhavamos pelo vazio. "Aonde estamos indo?"

"A lugar nenhum específico," Eu disse. "Só gosto de andar enquanto conversamos."

"Então que sentido isso faz?" Você perguntou. "Quando renascer, eu vou esquecer tudo, não é?" Um bebê. Então todas as minhas experiências e tudo que fiz nessa vida não significaram nada."

"Não é por aí!" Eu disse. "Você tem dentro de você todo o conhecimento e experiências de todas as suas vidas passadas. Você só não lembra dessas coisas agora."

Eu parei de andar e coloquei as mãos em seus ombros. "Sua alma é mais magnífica, linda e gigantesca do que você possa imaginar. Sua mente humana pode apenas entender uma pequena fração do que você é. É como colocar o seu dedo em um copo de vidro e ver se está quente ou frio. Você coloca uma pequena parte de você em jogo, e quando tira, você percebe que aprendeu tudo que podia por lá.
Você foi um humano nos últimos 48 anos, então ainda não deu tempo de você perceber o resto da sua imensa consciência. Se nós ficarmos aqui por muito tempo, você começará a lembrar de tudo. Mas não faz sentido fazer isso entre cada vida."

"Quantas vezes eu já reencarnei, então?"

"Ah, muitas. Muitas e muitas. E em muitas vidas diferentes." Eu disse. "Dessa vez, você será uma camponesa chinesa no ano 540 D.C."

"Es-espera aí, como?" Você gaguejou. "Você está me mandando de volta no tempo?"

"Bem, tecnicamente. Tempo, da forma como você conhece, só existe no seu universo. As coisas funcionam de outro jeito de onde eu venho."

"De onde você vem?" Você disse.

"Ah claro, " Eu expliquei "Eu venho de algum lugar. Um lugar diferente. tem outros como eu. Eu sei que você quer saber como é lá, mas honestamente, você não iria entender."

"Ah," Você disse, um pouco desanimado. "Mas espera. Se eu reencarno em diferentes lugares no tempo, eu poderia ter interagido comigo mesmo alguma vez."

"Claro. Acontece o tempo todo. E já que as duas pessoas tem apenas consciência da sua própria vivência, você nunca sabe que está acontecendo."

"Então, qual é o sentido?"

"Ta falando sério?" Perguntei. "Sério? Você está me perguntando o sentido da vida? Isso não meio clichê?"

"Bem, é uma pergunta plausível," Você persistiu.

"Eu te olhei nos olhos. "O sentido da vida, motivo pelo qual eu criei todo o seu universo, é para que você amadureça."

"Você ta falando da humanidade? Você quer que nós amadureçamos?"

"Não, somente você. Eu fiz todo esse universo para você. Para que em cada nova vida você cresça, amadureça e se torne um intelecto maior."

"Só eu? E as outras pessoas?"

"Não há mais ninguém," Eu disse. "Nesse universo, só existe você e eu."

Você me olhou com um olhar vazio. "Mas e todas as pessoas da Terra..."

"Todos são você. Diferentes encarnações de você."

"Que? Eu sou todo mundo?"

"Agora você está entendendo, "Eu disse, te dando uma tapinha nas costas.

"Eu sou todo ser humano que já viveu?"

"Ou quem irá nascer, sim."

"Eu sou Abraham Lincoln?"

"E você é John Wilkes Booth, também, " Completei.

"Eu sou Hitler?" Você disse, horrorizado.

"E também é os milhões que ele matou."

"Eu sou Jesus?"

"E também é todos que o seguiram."

Você ficou em silêncio.

"Toda vez que você enganou alguém, " Eu disse, "você estava enganando a si mesmo. Cada ato de bondade que você teve, foi feito para consigo mesmo. Cada momento feliz e triste que você teve com qualquer pessoa foi, e será, aproveitado com você."

Você ficou pensando por um longo tempo.

"Por quê?" Você me perguntou. "Por que fazer tudo isso?"

"Porque algum dia, você será como eu. Porque é isso que você é. Você é um dos meus. Você é meu filho."

"Nossa," você disse, incrédulo. "Quer dizer que sou um Deus?"

"Não, ainda não. Vocé um feto. Você ainda está crescendo. Quando tiver vivido todas as vidas humanas em todas as eras, você terá crescido o suficiente para nascer."

"Então todo o universo," você disse, "é somente..."

"Um ovo." Respondi. "Agora é hora de você ir para sua próxima vida."

E eu enviei você de volta.

-Fim.


Autor: anon.

15 de jul de 2010

.

Só uma palavra me define hoje: Desânimo.

9 de jul de 2010

Não tem nem como por título.

Moro no alto, da minha casa, da até para ver a cidade, e as outras casas abaixo de mim, da minha janela posso ver o terraço da casa dos outros, e foi com essa vista assim que começo minha história de hoje.

Da minha janela consigo de ter a vista privilegiada das casas ao redor da minha, não de todos os seus ínfimos detalhes, mas de um modo geral das coisas. E na tarde de hoje observando a paisagem, o matagal, as casas alheias, escuto ao fundo um pequeno barulho mais ou menos assim "tec tec tec".. Fiquei meio intrigada, mas nada que fosse morrer de curiosidade, continuei observando a paisagem, quando meus olhos pararam num bem-te-vi de tamanho normal, nada muito grande, nem nada muito pequena, apenas um bem-te-vi, em especial com uma pequena folhagem de tom verde na boca... Mas ele estava ali! Não voava! Fica no pequeno telhado de telhas, num galpão em miniatura construído em cima de uma casa, a 50~70 metros da minha, num nível mais baixo, penso até que a distancia seja maior, mas enfim... Lá estava ele, "sasaricando" de um lado para o outro, com a folhagem na boca, meio nervoso até diria...
Pensei meio sem querer "Será que o barulho vem dele...? Impossível", ainda sim, incrédula, peguei meu binóculo de longo alcance que guardo no armário, e mirei-o no pássaro, dito e feito!
Na boca dele não era uma folhagem um grande louva-deus, já morte meio despedaçado, mas ainda sim lutando pela vida! O bem-te-vi arremessava o corpo do louva-deus freneticamente contra a telha, para que o mesmo morresse, a "batalha" durou alguns minutos, até que o louva-deus deu-se por vencido e desfaleceu e o bem-te-vi foi-se embora com o troféu no bico.
A unica espectadora disso tudo naquele momento era eu... Senti um misto de orgulho, prazer, compaixão, tudo! Não acredito muito em espiritualidade, nem sou religiosa, mas sei lá, apenas sei, que a unica pessoa que iria compartilhar desde magnífica cena comigo, era meu pai, e de algum modo sei que em algum lugar ele também presenciou isso.

Ah sim para quem não sabe meu pai faleceu faz 6 meses. Era um grande admirador da natureza. Um grande homem, de poucas palavras e muitas ações. :}


8 de jul de 2010

Eventos de anime. ouch

Comecei a freqüentar os "famosos" eventos de anime por volta de 1999, quando naquela época a intenção dos mesmos era divulgar animes, exibições, conforme os eventos foram se passando, apareciam uns cosplays aqui, outros alí e algumas pessoas vendendo algumas coisas, como dvds, cds, mangás, etc... Mas a intenção mesmo era reunir pessoas para ver anime... Cosplay era mera diversão, nada muito "bem feito" nos padrões atuais, mas eram bem respeitados.
Com avanço da internetz para todos e download fácil, ficou meio sem nexo essa coisa de ir a evento para "ver anime", ficou mais ...ir a evento para "encontrar o pessoal", usar cosplay, e comprar coisas... Mas o que vejo nos eventos de agora é um bando de sem noção do que estão ao certo fazendo lá, um bando de pessoas gritando, arrumando confusão e por aí vai... Cosplay? Só para elite, panelinha fechada mesmo, concurso virou alvo de intrigas, fofocas, etc... Ir ver os amigos? Que nada! Agora as pessoas querem ir a eventos para mostrar seu visual para os amigos, brigar entre "tribos" e pegar gatinhas. rs
Evento virou sinônimo de shows de qualquer banda, desfile de cosplays e passarela para visuais, um mais doido que o outro, perdeu-se toda "Mágia" de antigamente. Como serão os eventos daqui a 5 anos? Cansei de escrever.